SCEDOF

SETOR DE CEFALEIA E DOR OROFACIAL

SETOR DE CEFALEIA E DOR OROFACIAL - INSTITUTO DE NEUROLOGIA DE CURITIBA

O MAIOR E MAIS COMPLETO SETOR DE CEFALEIA E DOR OROFACIAL DO BRASIL! 

COMO FUNCIONA!

 

O SCEDOF é um grupo interdisciplinar que proporciona ao paciente uma avaliação integral, não apenas médica, mas sim dentro de uma visão biopsicossocial, entendendo que este indivíduo é formado por corpo, mente e espírito, conforme a Associação Internacional para o Estudo da Dor (IASP) preconiza.

 

Entenda como ocorre a nossa avaliação em 8 passos:

 

1º) Avaliação Psicológica: Aos psicólogos cabe a avaliação do perfil de personalidade e de humor do paciente, através de anamnese e escalas reconhecidas internacionalmente, a fim de investigar quaisquer alterações que possam influenciar no gatilho e na cronificação da dor da cabeça e de dores orofaciais, para que desta forma o paciente possa ser encaminhado, quando necessário, para psicoterapia.

 

2º) Avaliação Nutricional: A avaliação clínica-nutricional busca identificar os aspectos alimentares, comportamentais e físicos que precisam ser corrigidos para evitar o desequilíbrio neuro-hormonal, os quais podem estar relacionados a maior frequencia e intensidade de episódios de da dores de cabeça. A avaliação também respeita as fases de vida, pois muitas crianças e adolescentes são acometidos pelas dores de cabeça, e ela considera a etapa do desenvolvimento em que a criança ou adolescente se encontram. Além disso, a recomendação nutricional deve ser realizada de forma bem individualizada, uma vez que cada indivíduo possui fatores desencadeantes distintos.

 

3º) Avaliação da Enfermeira: aferição dos sinais vitais, medidas antropométricas, anamnese sobre tratamento medicamentoso atual, alergias medicamentosas, qualidade do sono e realização de atividade física.

  

4º) Avaliação Médica: o nosso neurologista faz a avaliação a fim de diagnosticar qual tipo de cefaleia do paciente, se primária ou secundária, através da anamnese e exame físico/neurológico e com isso fazer a devida investigação e tratamento.

 

5º) Avaliação Odontológica: os profissionais da odontologia avaliam a região do sistema estomatognático de maneira integral, observando dentes, músculos da mastigação e a própria articulação temporomandibular, afim de detectar possíveis alterações que possam desencadear e/ou agravar um quadro de cefaleia pré-existente.  Observamos presença de facetas de desgastes dentário, possíveis sinais e sintomas de bruxismo do sono e  apertamento dentário, presença de músculos doloridos em face,  cabeça e pescoço, alterações temporomandibulares como ruídos e estalidos, desvios e  limitações de abertura bucal, marcas em língua e bochechas características de tais parafunções.  

 

6º) Avaliação Fisioterapêutica: Os profissionais Fisioterapeutas irão avaliar a região de pescoço e cintura escapular na busca de alterações musculares caracterizadas por pontos gatilhos ou bandas de tenção, os quais podem referir a dor para regiões occipital, frontal, temporal entre outras. Também como amplitudes articulares de articulações da cervical e também algumas alterações posturais que possam influenciar no quadro álgico. 

 

7º) Discussão em Grupo: todos os profissionais se reúnem no consultório com o paciente, quando cada um explana sobre o parecer da sua área de atuação e ali são definidos todos os diagnósticos e formulado uma planejamento terapêutico individualizado.

 

8º) Orientações ao paciente: por fim, todo paciente recebe um folder padronizado para o grupo Kids e adultos, no qual contém orientações a respeito de higiene do sono, exercício físico, hábitos alimentares, medidas para controle de estresse e uso racional de analgésicos.